Carregando

Seção 2 - Consciência Cósmica


Consciência Cósmica (Texto 1)

Sobre o que falaremos afinal?

Um novo sentido; o próximo nível de consciência da
humanidade; consciência universal ou cósmica; consciência crística; adentrar ao Reino dos Céus ou o verdadeiro recebimento do Espírito Santo; o atingir da Iluminação, Samadhi ou Nirvana; o contato de Moisés na sarça ardente (Êxodo, Cap. 3); o contato de Maomé com o Anjo Gabriel; etc.

Algo que transformará cada homem que a alcançar ou
recebê-la, e assim, este novo estado, conduzirá a humanidade para a paz e harmonia tão desejadas.

Um estado ou estágio que deve ser vivenciado, pois palavras, por mais complexas que fossem, não poderiam descrevê-lo.

Nos dias atuais, tornou-se comum a disputa entre as
religiões ocidentais e orientais, bem como afirmações, diria levianas, de se ter alcançado o mais alto bem ao homem concedido, que é o alcançar da Consciência Cósmica ou receber o Espírito Santo, porém, tentaremos demonstrar o equívoco que se encontram, apesar de bem intencionados, aqueles que assim o fazem ou dizem. 

A Consciência Cósmica traz consigo duas conseqüências importantíssimas: conhecimento (sabedoria ou gnose) e poder.

Desta forma, também Jesus nos lembrou disto, discorrendo sobre o Espírito Santo, ao afirmar:

João, Cap. 14, vs. 26: “... esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito” (sabedoria ou gnose).

João, Cap. 14, vs. 12: “... aquele que crê (criar pelo poder do Cristo) em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas ...” (poder).

Estarão presentes estes requisitos entre aqueles que dizem ter recebido o Espírito Santo e assim alcançado Consciência Cósmica?

Qual a preparação necessária para atingir este novo estado de Consciência?

Apenas moral ou também psíquica?

Entendemos que além da evolução moral, aquele que
aspira referida benesse, deverá também despertar seus centros psíquicos ou de energia, que possibilitarão a percepção de freqüências superiores às da luz solar visível, bem como o direcionamento de determinadas energias psíquicas, para a realização de alguns feitos, que bem poderiam ser chamados de milagres, mas que não o são, sendo tão somente o resultado do estudo e aplicação de determinadas leis esotéricas. 

Existem hoje no planeta, inúmeras Escolas Esotéricas,
filiadas e supervisionadas pela Grande Fraternidade Branca, que a esse míster se dedicam.

No próximo texto, daremos exemplos bíblicos de personalidades que atingiram Consciência Cósmica.

Consciência Cósmica (Texto 2)

Alguns casos de Consciência Cósmica presentes na Bíblia Judaíco-cristã

Este magnífico texto religioso, é profícuo não apenas na narração de casos de Consciência Cósmica, como também dos efeitos da mesma no homem que a alcança.

Em todas as descrições desta espécie, há alguns itens comuns, como alguma perturbação física ou até mental momentâneas, ou seja, um pequeno desconcerto ante a magnitude do
ocorrido.

O mais notório dos relatos, é a Iniciação de Jesus, conduzida por João Batista, junto ao Rio Jordão, narrado em Mateus, Cap. 3, vs. 13 a 17. 

Jesus já possuía, desde antes de sua concepção, um alto grau de Consciência Cósmica, porém, naquela encarnação, alçaría-se ao chamado “Grau Crístico” ou receberia a denominação
de “Cristo”, razão pela qual o estágio atingido pelo mesmo, não encontra paralelos, ao menos para nós ocidentais, em termos de sabedoria e poder publicamente demonstrados por um Mestre.

A cerimônia, apesar de simplesmente descrita, é gloriosa e extraordinária, pois permite aos presentes partilharem da mesma, quer pela visão do pássaro que desce sobre o Mestre,
quer pela afirmação peremptória do nível do mesmo, pela voz que dizia: “Este é o meu filho amado ...”.

Após o ocorrido, ergue-se Jesus como um Cristo, capaz das maiores demonstrações de Leis Cósmicas, bem como dotado de uma sabedoria profunda, que se esforça por partilhar
com os demais, inclusive tentando explicar o que seria este estado, que chamou de “Reino dos Céus” ou a “vinda do Espírito Santo”.

Outro caso importante, foi o de Paulo, descrito em Atos, Cap. 9, vs. 1 a 18, resultando em tal nível de sabedoria, que o fez praticamente interpretar quase todo o Novo Testamento,
exceto ao narrado pelos Evangelistas e algumas outras Cartas.

Paulo vê um resplendor de luz o cercar (vs. 3); ouve uma voz a indagar-lhe fatos (vs. 4 a 5); fica atordoado e atônito (vs. 6) e sofre a conseqüência de uma disfunção física temporária, ficando cego (vs. 8).

Por vêzes, devido ao nível a ser alcançado, este fato pode dar-se em um sonho místico, como o de Jacó, narrado em Gênesis, Cap. 28, vs. 10 a 17. O simbolismo emprestado ao
sonho é esmagador, bastando-nos abrir nossa mente para percebê-lo.

Os degraus da escada simbolizam os níveis de Consciência Cósmica que podem ser atingidos (vs. 12); os Anjos de Deus que subiam e desciam por ela, são os Iniciadores, os detentores da Palavra que abre os portais da sabedoria e poder para o Iniciado (vs. 12); e a mensagem, neste caso profética, própria para aquele que a recebe (vs. 13 a 15). 

Vê-se, como tentei alertar no primeiro texto, que o recebimento do Espírito Santo, ou a entrada em Consciência Cósmica, não é um simples ato de crença ou de afirmação de alguma autoridade, mas traz requisitos específicos, através dos quais podemos aferir, se houve ou não aludido Batismo ou Iniciação psíquica.

É, vos afirmo, muito mais que algo dependente de um rito, para ser o resultado de esforços concretos e definidos.

Consciência Cósmica (Texto 3)

Níveis de Consciência Cósmica.

Existem níveis de Consciência Cósmica, sendo que algumas doutrinas falam em sete, outras em doze, outras em sete vezes sete, havendo ainda a hipótese deste número estender-
-se de forma indefinida, sendo múltiplo de sete ou doze.

Pelos nossos estudos, parece-nos ser o número doze o mais indicado, o que não colocaria a possibilidade de sete níveis de lado, haja visto que a organização de nosso universo utiliza-se dos dois números, a exemplo das notas musicais, que de sete principais, perfazem doze ao final, com o acréscimo dos bemóis e sustenidos.

A cada nível de Consciência Cósmica ou do recebimento do Espírito Santo, a capacidade de colocação em prática de leis cósmicas (os chamados milagres) e a sabedoria se elevam,
sendo que a partir de determinado nível a personalidade deixaria de ter a necessidade de reencarnar. 

Quando em João, Cap. 3, vs. 1 a 12, Jesus explica a Nicodemos da necessidade de renascermos da água (em corpo físico) e do espírito (recebendo o Espírito Santo, atingindo a Iluminação ou adentrando em Consciência Cósmica), é justamente a este novo estado do homem a que se refere.

Também em Mateus, Cap. 19, vs. 27 a 30, esclarecendo a Pedro, Jesus alude a doze tronos, que nada mais são que os doze níveis de Consciência Cósmica.

Infelizmente, a maioria da população de nosso planeta, ainda não adentrou a esta nova consciência, ou seja, não recebeu o Espírito Santo, por este motivo a crueldade que aqui impera, a destruição desmesurada das fontes naturais, a exploração do próximo, enfim, o que chamamos de mal ou desarmonia.

Para corroborar a tese da existência de novos estados de consciência, João, em Apocalipse, Cap. 21, vs. 9 a 27, ao descrever a Nova Jerusalém, que descia do céu, a faz contendo
doze portas, sendo que em cada porta posta-se um Anjo (ou Mestre Cósmico, ou Dhyân-Chohâns).

A cada porta adentrada da Nova Jerusalém, corresponde um novo nível de Consciência Cósmica; o fato da mesma descer do céu, de vibrações universais mais elevadas que nosso plano físico, significa a vinda até cada ser humano, aqui, agora, e não necessariamente após a morte e o Anjo que posta-se em cada porta, simboliza e é ao mesmo tempo, Guardião e Iniciador, pois impede a entrada dos despreparados e fornece a palavra de passe, aos dignos e preparados.

Também em Apocalipse, Cap. 22, vs. 1 a 5, ao dissertar sobre a árvore da vida, João refere-se a doze frutos produzidos por essa árvore, sendo apenas uma confirmação dos doze
níveis de Consciência Cósmica. Paulo descreve em I aos Coríntios, Cap. 12 e 13, os dons do Espírito Santo (as capacidades adquiridas pelo que adentra em Consciência Cósmica) e Jesus demonstrou outras tantas leis cósmicas (a que Paulo sequer alude, a não ser implicitamente, como operação de maravilhas), assim, devemos nos perguntar seria e corajosamente, se estamos vendo estas coisas ocorrerem àqueles que afirmam ser portadores do Reino dos Céus ou do Espírito Santo.

Consciência Cósmica (Texto 4)

Existem vários livros que tratam do tema Consciência Cósmica, mas um dos mais felizes em dar uma ideia plena do tema, enfocando a vida e obra de vários que alcançaram Consciência Cósmica, foi Richard M. Bucke, em seu livro denominado Consciência Cósmica.

Traz neste livro maravilhosos excertos das obras e comentários sobre a vida de Iluminados como Buda, Jesus, Paulo, Plotino, Maomé, Dante, Bartolomé Las Casas, São João da Cruz, Jacob Boehme, William Blake, Honoré de Balzac, Walt Whitman, Edward Carpenter, Francis Bacon (e William Shakespeare), Sócrates, Blaise Pascal, Benedictus Spinoza, Swedenborg, Ralph Waldo Emerson e outros menos conhecidos. 

Explica didaticamente o que é Consciência Cósmica e a sua posição como um acréscimo à autoconsciência, decorrente da evolução do homem. 

Este livro serve ao estudante, quer pelo seu conteúdo, quer como um indicador de obras a ler. 

No Brasil, entre outras editoras, foi publicado pela Ordem Rosacruz – Amorc

Nunca é demais lembrarmos que o alcançar Consciência Cósmica, além da aquisição de outros conhecimentos esotéricos, é facilitado pela afiliação a uma Ordem Esotérica autêntica.

Sonhos Iniciáticos

A Consciência Cósmica ou Iniciação Cósmica pode dar-se em sonhos, assim sendo com muitos dos maiores que habitaram este planeta.

Foi assim com Salomão (I Reis III, 4-15).

Foi assim com Jacó (Gênesis 28, 10-20).

Foi assim, ao menos em parte, com William Shakespeare
(Francis Bacon), conforme relata em seu Sonetos XLIII e
LXXXVII, Editora Martin Claret.

Foi assim com Ram, em seus dois primeiros sonhos.

No primeiro lhe foi ensinado o remédio para a cura da peste que assolava seu povo, por um ser de majestosa estatura, vestido de branco como os druidas e portando uma vara,
na qual uma serpente se enrolava.

Quando Ram despertou, sentiu-se reconfortado, pois lhe dizia uma voz interior que havia encontrado a salvação. No segundo o mesmo ser divino lhe apareceu, parecendo-lhe ainda mais belo, com o corpo resplandecente de luz. E Ram viu-se em um templo, onde no lugar da pedra de sacrifício havia um altar. O Mestre tinha um facho na mão direita e uma taça na mão esquerda e disse a Ram que o facho era o Fogo Sagrado do Espírito Divino, e a taça era a Taça da Vida e do Amor.

Após viu-se transportado ao alto de uma montanha, sob o céu estrelado, onde o Mestre lhe explicou o sentido das constelações e o fez ler no zodíaco, os destinos da humanidade. Indagado por Ram sobre sua identidade, respondeu que era Deva Nahuscha, a Inteligência Divina (Livro I, A missão de Rama, Os Grandes Iniciados, Édouard Schuré, Editora
Cátedra). 

Muitas vezes, em sonho ou em vigília, pode dar-se também uma mudança de nome, prevista em Apocalipse II, 17.

Foi assim com Abraão (Gênesis 17, 1-8). 

Foi assim com Jesus, que antes se chamava José (A vida mística de Jesus, Capítulo XII, Harvey Spencer Lewis, Ordem Rosacruz). 

Essa Iniciação Cósmica ou Psíquica, em sonho ou em vigília, é dirigida por um Mestre encarnado ou por um ser da Sagrada Hierarquia Celestial, que já não tem mais necessidade de usar corpo físico.

Sabedoria - Consciência Cósmica – (Texto 5)

O livro Sabedoria de Salomão ou simplesmente Sabedoria, está nas Bíblias Católicas, depois de Cântico dos Cânticos ou Cantares e antes de Eclesiástico, fazendo parte dos livros
Poéticos e Sapienciais. 

A experiência de Consciência Cósmica de Salomão, ao menos a relatada na Bíblia, deu-se em sonho, no qual lhe foi ofertado tudo, e ele pediu simplesmente a Sabedoria ou a Consciência Cósmica (I Reis III, 4-15). 

Teremos uma ideia excelente do que é e da abrangência da Consciência Cósmica, se lermos os Capítulos VII e VIII, ambos do livro da Sabedoria, trocando mentalmente a palavra Sabedoria pela palavra Consciência Cósmica. 

Todo o livro, se lido com esse enfoque, terá um sentido extraordinário, pois os atributos da Consciência Cósmica elevada ali estão, simplesmente esperando por nós, para nos dar
uma ampla ideia, dessa que é, a esperança de todo místico que caminha na Senda, a benção maior, que é ser Iluminado ou alcançar Consciência Cósmica. 

A seguir, um pequeno excerto:

“Ele me deu um conhecimento infalível dos seres para entender a estrutura do mundo, 

A atividade dos elementos, 

O começo, o meio e o fim dos tempos, 

As alternâncias dos solstícios, as mudanças das estações, 

Os ciclos do ano, a posição dos astros,

A natureza dos animais, a fúria das feras, 

O poder dos espíritos, os pensamentos dos homens, 

A variedade das plantas, as virtudes das raízes. 

Tudo conheço, oculto ou manifesto, 

Pois a Consciência Cósmica, artífice do mundo, mo ensinou!” (Livro da Sabedoria, Capítulo VII, 17-22, Bíblia Judaico-cristã).


 Recomende este livro para algu�m
Indique para um amigo


Aguarde...






Livro - O Sol dos Rosacruzes

Todos Direitos Reservados © 2022