Carregando

Seção 7 - Bíblia


As Doze Portas da Nova Jerusalém – Breve Conto

Que fazer, dizer a verdade ou apenas parte dela. Decisão difícil, porém deixarei para os que lerem decidirem por si mesmos.

Encontrei-me em meus sonhos com Ele. Explicou-me coisas. Disse-me meu Nome. Ao comentar que não resistiria a escrever sobre o que aprendi, falei-lhe do medo do passado, porém com um sorriso afirmou: ¨Já não aprendeu que é possível mudar o passado? Deixa a vida fluir. Segue o teu caminho. Escreva se quiseres. Silencia-te se o desejares. A decisão é sempre nossa¨.

O Apocalipse visto por tantos como o grande e sangrento final, e até que poderá sê-lo, é antes de tudo a descrição da trajetória que conduzirá à vitória, na batalha individual que travamos para sermos Deus conscientes de que somos Deus, disse-me Ele.

A afirmação feita de forma simples, banal, passou-me desapercebida por algum tempo, ou melhor, por muito tempo, até que um dia resolvi questionar ou talvez algo mais me tenha sido dado psiquicamente.

Disse-lhe, fala-me então sobre o Apocalipse, ao que me respondeu que iria apenas levantar alguns véus, os mais importantes em sua opinião e que eu poderia interrompê-lo e questioná-lo, e assim começou:

- A: O Apocalipse nos Capítulos 21 e 22, fala do novo nível de consciência que há de vir ao homem que se salvará, e ante meu espanto, continuou, sim, é o homem que se salva utilizando a energia Crística da qual Jesus é o portal para o planeta. Jesus veio no início da Era de Peixes, demonstrou todas as possibilidades de uso da energia e sabedoria cósmica e abriu novamente o portal para o planeta, que salvo um absurdo comportamento humano não tem data para ser fechado.

- José: A você que lê, meu nome cristão é José. Portal, não entendi, como assim, o planeta precisa disso?

- A: A Nova Jerusalém tem doze portas. O homem tem doze portais por onde pode receber a energia Crística.

- Quando um planeta está preparado o portal cósmico se abre, um Salvador é enviado ao mesmo pela Hierarquia Celestial, com a missão de demonstrar a energia e ao mesmo tempo servir de canal para que a mesma adentre ao planeta.

- Uma vez a energia circulando pelo planeta, cabe a cada ser consciente do mesmo, que se alçou ao nível da consciência humana, utilizá-la para despertar seus centros de energia, seus portais psíquicos ou chakras, para então receber a energia Crística em si mesmo, e assim sabedoria e poder.

- José: Então não é como eu pensava, que bastava crer em Jesus.

- A: Infelizmente isto é um terrível engano. Aqueles que enganam de forma inocente, terão um débito cármico menor, mas os que o fazem de forma consciente, deliberada, apenas pelo poder temporal, seu débito cármico será maior, pois tudo que o homem planta, ele colhe.

- O homem precisa fazer a sua parte, usando a graça (a energia Crística) para despertar seus centros psíquicos. Temos que criar no Cristo. Criar novos corpos e nova consciência, pois não se coloca vinho novo em odres velhos, ou seja, a nova consciência não é colocada no corpo velho, daí a necessidade do renascimento ou a reconstrução dos corpos físico e psíquicos.

- José: Mas como fazer isto?

- A: O que cada vez mais pessoas sabem é que existe uma Hierarquia Sagrada dirigindo e zelando pelo planeta. Eles fundaram escolas, as chamadas Escolas Esotéricas que perpetuam e ensinam o método apropriado para cada um usar a energia Crística. Essas escolas estão filiadas à Grande Fraternidade dos Magos Brancos e recebem apoio, orientação e energia dessa. No seu meio de comunicação denominado Internet, há várias dessas escolas se anunciando. Também aí há joio e trigo, mas siga seu coração ao afiliar-se a uma delas. Só pode Iniciar quem detém o nível energético para tanto.

- José: Mas o que tem as doze portas da Nova Jerusalém com esta nova consciência?

- A: Usei o termo nova consciência, porém trata-se da mais velha verdade de todas as galáxias onde a vida penetrou. No planeta Terra podemos chamá-la principalmente de vinda do Espírito Santo, de Iluminação, do ver Deus na sarça que ardia sem consumir-se, de contatar o Anjo Gabriel por Maomé, de Consciência Cósmica, de Samadhi.

- Esta nova consciência tem doze níveis. Cada porta da Nova Jerusalém representa um desses níveis. Cada porta tem uma cor simbolizada pela pedra preciosa de que é composto seu alicerce, fundamento ou coluna. Como sabes cada cor vibra numa determinada frequência e assim cada porta delimita um determinado nível de Consciência Cósmica.

- José: A Nova Jerusalém não é uma cidade que desce do céu então?

- A: É uma cidade cósmica que deverá ser edificada em cada ser humano.

A Nova Jerusalém desce do céu enfeitada como uma esposa para o marido. Embora o campo energético seja o oposto, tu és a noiva e a energia Crística o noivo, o casamento, no caso alquímico deve realizar-se, o inferior deve unir-se ao superior e serem um, como Jesus é Uno com sua fonte da vida, seu Pai.

- Quando desperta teus centros de energia com a ajuda do Cristo e de sua Hierarquia Sagrada, ao mesmo tempo eleva-se em consciência e caráter. Tens de fazer a tua parte lembra? Mas a boa notícia é de que a maior parte do caminho é feita pela Hierarquia Celestial a serviço do Cristo, daí a importância da afiliação à escola detentora da metodologia e da Egrégora ou campo de força apropriado.

- José: O Apocalipse é individual então?

- A: Sim. Embora possa haver e há momentos de cobranças coletivas de carma, mas não é nosso assunto. A edificação da Nova Jerusalém em si mesmo é tarefa individual.

- José: O que ocorre ao que edifica a Nova Jerusalém em si?

- A: Estamos no tempo do cumprimento das profecias de Jesus ou de cumprir-se João, Capítulo 14, o que significa fazermos as obras alquímicas que Jesus fez (que implica em colocar o conhecimento em movimento, sabedoria e poder), sermos moradas do Pai e do Filho (daí a necessidade do despertar dos centros psíquicos e da reconstrução dos corpos físico e psíquico) e recebermos o Espírito Santo, atingirmos Consciência Cósmica ou sermos Iluminados, quando seremos lembrados de tudo o que Jesus disse e receberemos ensinamentos sobre todas as coisas, o que nada mais é do que a gnose esperada pelos místicos.

- José: Intriga-me Jesus ter dito em Mateus, Capítulo 8, que éramos mortos?

- A: É exatamente isto, quem não aproveita a energia Crística para despertar seus centros de energia, edificar em si a Nova Jerusalém e adentrar a Consciência Cósmica esta morto, ou seja, não se apercebe do universo divino.

- José: E quanto aos Anjos postados em cada porta da Nova Jerusalém?

- A: Simbolizam o Iniciador e o Guardião. O Iniciador dá a Palavra para se adentrar ao nível de Consciência Cósmica atingido e o Guardião impede que os despreparados adentrem. É a parábola do casamento ou das bodas nupciais (Mateus, Capítulo 22), onde o vestido nupcial são os corpos físico e psíquico regenerados com a energia Crística, devidamente direcionada através de exercícios esotéricos para esse fim.

- José: E a escada de Jacó (Gênesis, Capítulo 28), também tem Anjos lá?

- A: É a Iniciação Cósmica de Jacó, dada em sonho. Os degraus da escada são as mesmas portas da Nova Jerusalém, ou seja, níveis de Consciência Cósmica ou de vinda do Espírito Santo e os Anjos, a mesma coisa, Iniciadores e Guardiões do Sagrado.

- José: Acho que consegui entender.

- A: Pois é do meu desejo que outros também entendam através de você.

Não me falou nada sobre o método, só me indicando as Escolas Esotéricas. Também não referenciou nenhuma delas. As chaves que me deu, dou a vocês, esperando que elas abram seus corações e seu entendimento quanto à verdadeira missão de Jesus, o Cristo.

Tanto em tão poucas linhas. Com certeza uma vida é pouco para edificarmos a Nova Jerusalém em nós e atingirmos a medida de homem que é a de Anjo, ou adentrarmos à Hierarquia Celestial.

Sem demora, convido-os a beberem do rio puro da água da vida, claro como cristal, que jorra de Deus e do Cristo. Decidam-se. Estudem. Pratiquem na Escola do Espírito Santo.

Não vos preocupeis com caráter, poderes psíquicos, despertar, apenas persistam, pois tudo nos é dado por acréscimo, desde que nos esforcemos consoante nosso nível de capacidade.

Verdade. Cabe a vocês decidirem. Ao final prevalecerá sempre a parábola do Semeador (Mateus, Capítulo 13) e a dos Talentos (Mateus, Capítulo 25). Que vossos campos sejam férteis e que seus talentos sejam trabalhados.

Ainda Tenho Muito Que Vos Dizer

Quanto havia para ser dito, mas as multidões não estavam preparadas (João, 16, verso 12) e hoje, superadas inúmeras barreiras, pode-se semear sem maiores temores, pois o planeta evoluiu, apesar de ainda estar longe do ideal Crístico.

A derradeira verdade a ser esclarecida, o néctar dos deuses, a sabedoria reservada a uns poucos, agora se coloca ao alcance de todos, bastando-nos vontade para estudar os ensinamentos e praticar os exercícios esotéricos, enquanto paulatinamente vamos elevando-nos em caráter.

Assim as escolas esotéricas multiplicam-se no planeta e a palavra misticismo vem sendo trazida ao seu real significado, qual seja o do estudo metódico e sistemático das leis divinas a que o Mestre Jesus deu vida.

Direcionamento de energias para curas, levitação, projeção astral, invisibilidade, transformações alquímicas de uma substância em outra, intuição e muitas outras habilidades demonstradas pelo Mestre, são conhecimentos colocados à disposição daqueles que se atrevem a elevarem-se em pensamento e consciência, atravessando um dos portais à disposição no planeta e com dedicação avançar no domínio das leis sagradas.

Ao que tem será dado e o será em abundância (Mateus, 13, verso 12), lei que o Mestre repetiu diversas vezes na Bíblia, e mais lembrou-nos de que tudo nos seria dado por acréscimo (Mateus, 6, verso 33), porém referia-se à gnose, ao maior dos bens, ao nível Cósmico de consciência, a conhecimento, a sabedoria, ao mesmo bem desejado e recebido por Salomão.

O que havia para ser dito, agora está à nossa disposição nas escolas esotéricas. Cumpre-se João 16, verso 12.

A Bíblia

A Bíblia judaico-cristã é maravilhosa, mesmo nas traduções populares a que temos acesso, bastando apenas uma mudança de enfoque, para que todo o seu acervo de sabedoria esotérica venha à tona.

O relato de Jó a as Lamentações de Jeremias, esta principalmente no seu capítulo 3, são descrições da chamada Noite Negra (Escura) da Alma.

O Cântico dos Cânticos narra a caminhada da alma solitária (Esposa) rumo à Iluminação, à Consciência Cósmica, ao Casamento Alquímico, que é o contato com o Esposo, que poderia se traduzir por um contato com um Mestre, com a própria Consciência Interior da pessoa ou pela harmonização com vibrações superiores.

O Livro da Sabedoria de Salomão traz os encantos, propriedades e poderes próprios da Consciência Cósmica, como em seus Capítulos 7 e 8, por exemplo.

Praticamente todos os seus Profetas, incluindo Davi e Salomão, foram casos de Consciência Cósmica, acompanhados de sonhos, visões celestiais e sabedoria.

Os Evangelhos, aos quais incluiria os de Tomé, Felipe e Maria Madalena, são tesouros de sabedoria esotérica, contendo inúmeras leis Cósmicas.

As cartas de Paulo, que foi um elevado caso de Consciência Cósmica, trazem detalhes do que é alcançar Consciência Cósmica e da transformação, não só moral, mas ao nível da parte psíquica do ser humano.

O Apocalipse também tem suas indicações Iniciáticas, como o verso 17 do Capítulo 2, por exemplo. “E dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe”. Este é o Novo Nome, dado ao Iniciado pelo Mestre, quando de sua Iniciação Psíquica.

Assim, a Bíblia tem muitas chaves, repito o que um Membro de minha Ordem me disse certa feita.

As anotadas acima são apenas um pequeno vislumbre.

A Segunda Vinda do Cristo

Muito se fala da Segunda Vinda do Cristo, principalmente entre as Religiões ortodoxas baseadas na Bíblia Judaico- -cristã, entretanto, essa Segunda Vinda embora deva ocorrer, não deveria ser interpretada de forma literal.

O homem é, ou traz em si, uma centelha Divina, o Espírito de Deus que o habita. Para nos harmonizarmos com esse Espírito, devemos despertar nossos chakras, elevando a frequência vibratória dos nossos corpos mais sutis, que são o duplo etérico, o corpo astral ou de desejos e o corpo mental (corpos do Eu Objetivo ou Personalidade).

“Ao fim do caminho está o Chréstés, o Purificador, e, uma vez terminada a união, o Chréstos, o homem da dor, convertia-se em Christos” (verbete Cristo, Glossário Teosófico, Editora Ground).

Assim a Segunda Vinda do Cristo seria individual, conforme vemos no excerto abaixo:

“A segunda vinda do Cristo está para acontecer no mundo, não como um acontecimento que chegará para todos simultaneamente, mas para cada alma quando estiver preparada para recebê-lo em seu coração e realizar Sua obra (Lucas XXI, 34-36).

Ele está disponível agora, no sentido de que se abrires tua alma para receber seu Espírito, Ele entrará.

Verdadeiramente, quanto ao momento em que Ele chegará para os Seus, ninguém pode dizer o dia ou a hora; contudo eu digo, não te demores a esperar por Ele como um homem ou um espírito exterior, mas como o Espírito Crístico, infundindo teu próprio ser” (Um habitante de dois Planetas, Phylos, Livro Segundo, Capítulo VI, página 332, Ordem Rosacruz, AMORC).

Seres Perfeitos Criados À Parte

Sobre a tese que este título representa, a teologia ortodoxa e mesmo a de algumas Ordens Esotéricas, defendem a criação dos chamados “Anjos”, como tendo sido perfeitos e anteriores ao homem. Em seguida a isto, como um corolário, defendem a tese da Queda, o mito de Lúcifer, o Pecado Original de Adão, etc.

Como o universo evolui por ciclos e por sistemas estelares, havendo períodos de manifestação (manvantara) e de repouso (pralaya), o Logos Estelar, um verdadeiro “deus” para o seu sistema, no início de seu ciclo de atividade, emana de si mesmo, a Sagrada Hierarquia Celestial, que o auxiliará na condução e concretização de seu universo. Estes seres evoluíram em um Manvantara anterior e aí está toda a confusão, de tê-los como criados à parte por “deus”.

Annie Besant ensina com simplicidade e sabedoria:

“No Nirvana (o Quinto Plano ou dimensão de nosso sistema estelar; acresço) residem os Seres Poderosos que concluíram a Sua evolução humana em universos passados, e que surgiram com o Logos (do sistema estelar, acresço) quando Ele se manifestou para trazer este universo à existência.

Eles são Seus ministros no governo dos mundos, os agentes perfeitos de Sua vontade” (A Sabedoria Antiga, Annie Besant, Os Planos Búdico e Nirvânico, página 116, Teosofia, Editora Teosófica).

A Bíblia Oculta

Sei que desagradarei muitos com este Artigo, mas estamos no século XXI e o oculto deve ser revelado, em prol daqueles que estão preparados para recebê-lo. Por isto, levantarei neste Artigo parte do véu envolvendo IHVH – Elohim.

Nas Bíblias comuns, normalmente IHVH é traduzido como Senhor e Elohim como Deus. A Bíblia Hebraica (Editora Sêfer) e a Bíblia de Jerusalém ( Paulus Editora) são mais precisas, pois nelas IHVH é traduzido como O Eterno ou Iahweh e Elohim como Deus. Naturalmente que há exceções, mas na maioria dos casos, a tradução é esta.

Muitas vezes nos encontramos diante das palavras IHVH Elohim, traduzidas como Senhor Deus, como em Gênesis 3, versos 8-24. Elohim nesses casos apareceria como um indicador de qual grupo pertenceria IHVH, posto que Elohim é um nome coletivo, ou seja, indica uma pluralidade de seres. Assim IHVH seria um dos Elohim, o responsável pela formação do corpo físico do homem (Gênesis 2, verso 7).

O fato de Elohim indicar uma coletividade é explicitado em Gênesis 3, verso 22, na frase “Se o homem já é como um de nós” ou “Eis que o homem se tornou como um de Nós”, plural que é defendido com unhas e dentes pelos eruditos, como um plural que em verdade seria singular, ou algo assim, o branco que não é branco ou o azul que não é azul. Mas Moisés, um Iniciado nos Mistérios Egípcios, seria um idiota ou um néscio?

Veja por exemplo, como ficaria a tradução de Êxodo 20, versos 1-3.

“1. Elohim (Deus) pronunciou todas estas palavras, dizendo:

2. Eu sou IHVH teu Elohim (Deus) que te fez sair da terra do Egito, da casa da escravidão.

3. Não terás outros Elohim (deuses) diante de mim” (Bíblia de Jerusalém). Neste caso Elohim é traduzido, de acordo com a conveniência, ora como “Deus”, no singular e ora como “deuses”, no plural.

O fato de Elohim indicar uma coletividade de seres, leva à tese da Hierarquia que é responsável pelas Cadeias Planetárias, defendida pela Teosofia (H. P. Blavatsky), Antroposofia (Rudolf Steiner) e Fraternidade Rosacruz (Max Heindel).

Em uma estrela, local onde a vida se desenvolve no universo, desde o Logos da estrela, toda a evolução é dirigida por uma Hierarquia de seres, que ao realizarem este trabalho, também estão evoluindo. Todos estes seres, inclusive o Logos da estrela, usando corpo físico ou não, passaram por uma etapa de consciência semelhante à humana, ou seja, foram homens.

Ampliemos nossa visão. Não pensemos nos aproximados 300 bilhões de galáxias existentes, mas apenas na nossa, com seus 300 bilhões de estrelas. Além da nossa estrela, a Sol, restariam apenas na nossa galáxia, 299 bilhões, 999 milhões, 999 mil e 999 estrelas. É preciso dizer mais?

Com exceção de Josué 10, versos 10-15, ou seja, a paralisação da órbita da estrela Sol, que interferiria na Galáxia, todos os fatos narrados no Velho Testamento, são coisas simples para os Elohim.

Bibliografia.

- A Cabala, Papus, Livraria Martins Fontes Editora Ltda.

- www.adventistas.com - Interlinear Hebraico-Português.

- Verbetes Elohim e Jehovah, Glossário Teosófico, Editora Ground.

- Jeová e sua missão, Análise Oculta do Gênese, Conceito Rosacruz do Cosmos, Max Heindel, Fraternidade Rosacruz.

- A Torá, Edição Bilíngue, Abba Press Editora e SBIA.

Dom de Línguas – Atos 2

Embora as Ordens Iniciáticas tenham belíssimas Iniciações em seus Templos, para o presente propósito devemos ter em mente que a verdadeira Iniciação é a Psíquica. Essa Iniciação deverá conter a Luz indescritível, que se transformará no Pássaro anunciador da presença do Mestre, que dará ao então Iniciado, o Novo Nome e a Benção, cumprindo Apocalipse 2, verso 17.

São diversas as Iniciações Psíquicas acima descritas e a Teosofia defende a tese da existência de cinco delas, até alcançarmos a Maestria. Conforme avançamos nos níveis Iniciáticos, maior é o poder e o conhecimento que nos são conferidos.

A explicação introdutória a este Artigo deve-se ao fato de que o chamado “Dom de Línguas” está ligado a um determinado nível Iniciático, se não a Maestria, talvez a Quarta Iniciação, a de Arhat.

Que é afinal o “Dom de Línguas”?

É um simples balbuciar de palavras ininteligíveis e desconexas? Como veremos abaixo, com certeza, não.

O verdadeiro “Dom de Línguas” é a capacidade de nos fazermos entender, em todo o Planeta, falando nosso idioma original, que será compreendido por qualquer de nossos ouvintes, tenham esses a nacionalidade que tiverem, como se estivéssemos falando em sua língua natal (veja Atos 2, versos 5-12, Novo Testamento, Bíblia).

Os Apóstolos do Cristo eram Iniciados. Por qual razão, Discípulos presenciais do Cristo não o seriam?

Já imaginaram como seria um discurso pela Internet a todo o Planeta ou uma locução na ONU, de um Ser dotado do verdadeiro e esquecido “Dom de Línguas”?

Já alcançamos a Internet Planetária Atlante; porém, já deve existir a Internet Estelar, a Galáctica e mesmo a Inter- -Galáctica; assim, muitas maravilhas ainda nos estão reservadas.

Finalizando, estou a falar de um poder que é conferido ao Iniciado, em uma determinada Iniciação Psíquica, possivelmente a Quarta, e não de um suposto tradutor simultâneo, que o Google um dia venha a desenvolver.

Como vêem é algo majestoso, maravilhoso, que nos dias atuais não vemos se repetir mais.


 Recomende este livro para algu�m
Indique para um amigo


Aguarde...






Livro - O Sol dos Rosacruzes

Todos Direitos Reservados © 2022