Carregando

Cadeia Planetria


Um tema extremamente rduo, complexo, pois mesmo autores como Blavatsky, Leadbeater, Max Heindel, Arthur E. Powell, A. P. Sinnett, Annie Besant e outros, no do todos os detalhes de como se efetua a evoluo, atravs dos Sete Globos ou Planetas, que formam uma Cadeia Planetria, sendo que sete delas, formam um Esquema de Evoluo.

Em cada Planeta de uma Cadeia Planetria, que contm sete Planetas, ocorre a evoluo de trs Reinos Elementais e mais quatro outros Reinos, sendo eles o Mineral, Vegetal, Animal e Humano. O que define o corpo mais denso a ser usado pela humanidade daquela Cadeia, o seu Planeta mais denso, o Globo D da Cadeia. Essa a linha de evoluo humana, mas existe ao menos mais uma linha evolutiva que conduz ao Reino dos Devas, que no objeto deste Artigo.

H diferentes linhas de evoluo para os humanos, conforme a Cadeia na qual se individualizam. Este fato bem destacado por Max Heindel, em seu Conceito Rosacruz do Cosmos, Captulos V a XII.

No h como precisar a durao de uma Cadeia Planetria, mas a meu ver, so to prolongadas, que a prpria estrela que d vida Cadeia, se for como o nosso Sol, teria que nascer e morrer mais de uma vez, para completar um Esquema de Evoluo ou Sete Cadeias Planetrias.

Em cada Cadeia Planetria existe um objetivo a ser alcanado. Na primeira Cadeia de nosso Esquema de Evoluo foi a Primeira Iniciao; na segunda Cadeia foi a Terceira Iniciao; na Terceira Cadeia, o Grau de Arhat ou a Quarta Iniciao e na Quarta Cadeia, a nossa, o nvel de Adepto ou Mestre, a Quinta Iniciao (Captulo IX, pginas 62/63, O Sistema Solar, Arthur E. Powell, Teosofia).

Nem todos alcanam o objetivo previsto para a Cadeia Planetria e assim temos os Atrasados. Para Arthur E. Powell, no livro citado, esses atrasados ingressam novamente como humanos na prxima Cadeia (veja Captulos XX a XXV de O Sistema Solar).

Max Heindel tem, entretanto, uma opinio diferente. Escrevendo sobre a Cadeia anterior a nossa, a Cadeia Lunar, v nesses atrasados, os Seres Lucferos, que tanto se beneficiaram do homem, como os auxiliaram (veja Captulo XII, pgina 259, de Conceito Rosacruz do Cosmos). No pretendo resolver o dilema, mas apenas apresentar as duas opinies.

O estudo repleto de sutilezas, e aqueles que se dedicarem a faz-lo, com certeza ficaro com muitas perguntas sem resposta. Vale a respeito, a advertncia do Mestre Koot hoo Mi.

Terei de manter silncio em relao aos Dhyan Chohans (Mestres, acreso) e tampouco posso revelar a vocs os segredos relativos aos homens da Stima Ronda (em nossa Cadeia, estamos na Quarta Ronda, acreso). A percepo das etapas mais elevadas do ser humano neste Planeta (e na Cadeia Terrestre, acreso) no pode ser alcanada pela mera aquisio de conhecimento. Nem volumes inteiros com a informao mais perfeitamente construda poderiam revelar ao homem a vida nas regies (Planos Vibratrios, acreso) mais elevadas. A pessoa tem que obter conhecimento dos fatos espirituais atravs da experincia pessoal e da observao direta (Cartas dos Mahatmas para A. P. Sinnett, Volume I, Carta 65, pgina 269, Teosofia).

Bibliografia.

- O Sistema Solar, Arthur E. Powell, Teosofia

- Conceito Rosacruz do Cosmos, Max Heindel, Fratenidade Rosacruz, Captulos V a XII

- A Viso Teosfica das Origens do Homem, Annie Besant e C. W. Leadbeater, Teosofia (publicado tambm sob o nome: O homem: donde e como veio, e para onde vai).


 Recomende este artigo
Indique para um amigo


Aguarde...






Todos Direitos Reservados © 2020